22 de março, 2013

A IRMANDADE DA FÉ NO ISLÃ



A amizade e a fraternidade:

Uma das primeiras ações que o Profeta Muhammad (SAAS) realizou após ter chegado na cidade de Meca foi ter permanecido para gerar o amor e a fraternidade entre os muçulmanos, entre os “Ansar” (os habitantes da cidade) e os “Muhajirrin” (migrantes), criando um pacto de irmandade entre eles, de forma que a amizade pudesse a partir daí florescer entre todos igualmente sem distinção.

Anteriormente havia conflitos e muita discórdia que, inclusive, causaram derramamento de sangue. Após o pacto de irmandade, a paz foi então finalmente estabelecida. Todos se tornaram grandes amigos chegando e aceitaram a visão do Islã de que não importa o grupo étnico a que pertencerem, são considerados todos irmãos.
O Islã não leva em consideração a origem étnica e nem a posição social ou econômica, apenas a Fé em Deus na questão da irmandade.

O conhecimento e reconhecimento ao próximo:

O Alcorão diz que os muçulmanos devam conhecer uns aos outros. Deus criou os seres humanos para que se conheçam uns aos outros, mas sem privilegiarmos de uns sobre os outros. Diz o Sagrado Alcorão (49:13):

“Ó humanos, em verdade, vos criamos de macho e fêmea e vos dividimos em povos e tribos, para reconhecerdes uns aos outros. Sabei que o mais honrado, dentre vós, ante Deus, é o mais temente. Sabei que Deus é Sapientíssimo e está bem inteirado.”

O Islã depois de ter especificado os valores que deve possuir uma sociedade independente dos fatores raciais, sociais ou econômicos que anteriormente eram levados em conta também regulamentou a todos. O Alcorão Sagrado (3:103) no ensina:

“Sois a melhor nação que surgiu na humanidade, porque recomendais o bem, proibis o ilícito e credes em Deus. Se os adeptos do Livro cressem, melhor seria para eles. Entre eles há fiéis; porém, a sua maioria é depravada.”

A amizade e o amor:

O Profeta Muhammad (SAAS) e os Imames (AS) nos recomendam a amizade e o companheirismo dentre os muçulmanos. O Profeta Muhammad (SAAS) disse (Sanad Hambal, tomo 4, p.386):
“Deus nos diz que o seu amor e a sua amizade estarão com aqueles que por minha razão (Deus) se reúnem e se agrupam. O Meu amor esta com aqueles que se ajudam pela causa de Deus. O Meu amor esta com aqueles que se necessário dão de seus bens materiais em prol da causa de Deus.”

O Imam Assadek (AS) narra do Profeta Muhammad (SAAS) o seguinte:
“O Amor e a amizade devem ser levados em consideração por Deus assim como a sua inimizade também deve ser por Deus. Devemos sempre gostar dos amigos de Deus e desgostar dos inimigos de Deus. O Amor a e inimizade que é uma das bases do Islã devem ter uma conotação divina. No Alcorão Sagrado coloca os crentes como irmãos uns dos outros.

O Sagrado Alcorão (49:10) diz:

“Sabei que os fiéis são irmãos uns dos outros; reconciliai, pois, os vossos irmãos, e temei a Deus, para vos mostrar misericórdia.”

Irmandade pela posição social ou econômica é proibida:

Na visão do Islã não devemos ser amigos por interesses materiais. Não devemos também temer alguém pela sua posição ou cargo na sociedade. Este tipo de amizades no Islã são terminantemente proibidas. A irmandade islâmica transpassa o mundo terreno e tem como objetivo a eternidade. Valores mundanos não são um referencial na religião islâmica e sim por Deus deve um muçulmano atuar levando em consideração Seus valores. Por diversas vezes o Profeta Muhammad (SAAS) sentava-se junto aos pobres e miseráveis porque estes haviam abraçado o Islã.

Há pessoas que respeitam os outros pela sua posição social ou econômica apenas. Portanto, de olho nas vantagens que se pode alferir de tal pessoa acabam lhe respeitando. Este tipo de pessoa quando observa que seu amigo começa a perder sua posição na sociedade também deixa de ser seu companheiro e o abandona. Aquele que antes era adorado e respeitado passa então a ser rejeitado e mal tratado.
No Islã, porém, a irmandade passa a ser eterna e não meramente temporária. O muçulmano deve considerar a tratar ao seu irmão como gostaria que fosse tratado.
Aspectos como a origem, situação econômica, posição social ou outros não são levados em consideração.

O Profeta não diferenciava as pessoas e tratava a todos da mesma forma.
Sempre se sentava junto aos pobres e miseráveis e comia com eles numa época de ignorância total em que os árabes se achavam melhores que os outros por qualquer motivo por mais banal que fosse. Por exemplo se alguém possuísse mais camelos que outro se achava melhor. Ou aquele que tivesse mais falecidos de em sua família se achava superior. Se orgulhavam de coisas assim que não tinham o mínimo sentido.
Se achavam melhores porque eram árabes e os outros não. Ou porque uns eram brancos e outros negros.

O Profeta Muhammad (SAAS) vem, com a anuência de Deus, quebrar todas as formas de preconceito dizendo que não a diferença entre os seres humanos a não ser pela fé e piedade. Várias evidências sobre este aspecto do Islã, como por exemplo o fato de o Profeta (SAAS) ter convocado um negro (de nome Bylale) pra fazer o primeiro “Adhan” (chamamento islâmico para a oração), ou a maneira como Salmam Al Farsi (um persa) foi recebido como membro da família pelo Profeta (SAAS).

Este comportamento do Profeta representa que não devemos diferenciar ninguém seja por qualquer tipo de referencial. Uma amizade deve existir pela pessoa em si e não por o que ela possa representar.

Pelo amor divino é que as relações devem existir sempre com a anuência divina. A amizade com aqueles que são amigos de Deus faz nos aproximarmos do Criador.
Não devemos ser negligentes com os servos de Deus jamais. Nossa amizade com Deus se inicia quando a partir do momento em que seguimos os seus preceitos.
O Alcorão Sagrado nos revela no Capítulo de Abraão, versículo 7:

“E de quando o vosso Senhor vos proclamou: Se Me agradecerdes, multiplicar-vos-ei; se Me desagradecerdes, sem dúvida que o Meu castigo será severíssimo.”

Daí entendemos que o ser humano está num dos mais altos degraus de aproximação a Deus.

Amar a Deus é também amar aos pais, amigos, vizinhos e vice-versa:
Segundo ponto a ser a colocado e de que a vida em sociedade daqueles que dizem amar a Deus deve ser também de amor com relação aos seus pais, seus vizinhos e com seus amigos. Devemos prestar muita atenção e escolhermos bem as pessoas com quem fazemos amizades.
No Sagrado Alcorão nos diz no Capítulo “Al-Muntahana” versículo n° 1:

“Ó fiéis, não tomeis por confidentes os Meus e os vossos inimigos, demonstrando-lhes afeto, posto que renegam tudo quanto vos chegou da verdade, e expulsam (de Makka) tanto o Mensageiro, como vós mesmos, porque credes em Deus, vosso Senhor! Quando sairdes para lutar pela Minha causa, procurando a Minha complacência (não os tomeis por confidentes), confiando-lhes as vossas intimidades, porque Eu, melhor do que ninguém, sei tudo quanto ocultais, e tudo quanto manifestais. Em verdade, quem de vós assim proceder, desviar-se-á da verdadeira senda”

AS é a abreviação de Aleihe Salam que significa Que com ele(s) esteja(m) a Paz;
SAAS é a abreviação de Sallallah Aleihe wa Aleh wa Salam que significa Que a Benção e a PAz de Deus estejam com ele e sua descendência.

Colaboração: Cristiani Oliveira
Fonte: www.ibeipr.com.br

Não há comentários aprovados neste post!

Curta e Compartilhe


Horário das orações:


Foz do Iguaçu

Busca

Arquivos

Tag

Geral - notícias