SBI

21 de junho, 2016

Operação Pecúlio 3ª fase: Entre os presos estão o atual e o ex-secretário de Saúde da cidade


ope (foto Yassine Ahmad Hijazi)

Adriana Justi e Luciane CordeiroDo G1 PR

A Polícia Federal (PF) cumpre a 3ª fase da Operação Pecúlio, que investiga irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços na prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na manhã desta terça-feira (21). Ao todo, foram expedidos nove mandados de prisão preventiva e 22 de busca e apreensão.
Até as 10h, uma pessoa tinha sido presa em flagrante por posse ilegal de arma e todos os mandados de prisão já tinham sido cumpridos. Entre os detidos estão o ex-secretário da Saúde Charles Bortolo e o atual, Gilber da Trindade Ribeiro. Veja a lista com os nomes dos presos abaixo.
As investigações apontam indícios de ingerência de gestores do município, de forma direta e indireta, em empresas contratadas para prestação de serviços e realização de obras junto à prefeitura com quantias milionárias de recursos públicos federais como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e outros como o Sistema Único de Saúde (SUS).
RESUMO DA 3ª FASE
– Objetivo: combater irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços na prefeitura de Foz do Iguaçu
– Mandados judiciais: 9 de prisão preventiva e 22 de busca e apreensão
– Presos preventivos:
Marli Terezinha Telles, diretoria de gestão em Saúde.
Valter Martin Schoeder Júnior, da secretaria da Fazenda.
Valter Martin Schoeder, da secretaria da Fazenda.
Charles Bortolo, ex-secretário da Saúde.
Evori Roberto Patzlaff – ex-secretário de Obras.
Luiz Carlos Alves, da secretaria da Fazenda.
Girnei de Azevedo, da secretaria de Obras.
Gilber da Trindade Ribeiro, atual secretário de Saúde.
Reginaldo da Silveira Sobrinho, técnico de radiologia da secretaria da Saúde.
- Prisões em flagrante – uma, por posse ilegal de arma.
Outro lado
A defesa de Charles Bortolo informou que ainda não vai se pronunciar sobre o cumprimento do mandado de prisão. O advogado Luiz Eduardo da Silva disse que só vai se manifestar após ter acesso aos autos.
O advogado de Evori Roberto Patzlapp também não vai comentar a prisão. A defesa de Reginaldo da Silveira Sobrinho declarou que ainda não tem conhecimento sobre os motivos da prisão e, por enquanto, não vai se pronunciar.
A defesa de Gilber da Trindade Ribeiro, atual secretário de Saúde de Foz do Iguaçu, só vai se pronunciar após ter acesso aos autos.
A Prefeitura de Foz do Iguaçu deve se pronunciar apenas na conclusão desta etapa da operação da Polícia Federal. O G1 tenta contato com as defesas dos demais presos.
Etapas anteriores
Um dos alvos de condução coercitiva na primeira fase, que foi deflagrada no dia 19 de abril, foi o prefeito da cidade, Reni Pereira (PSB). Após prestar depoimento, ele foi liberado.
Nesta segunda-feira (20), a Justiça Federal mandou soltar duas pessoas suspeitas de participar de um esquema – o empresário Nilton Beckers e o ex-diretor de pavimentação da prefeitura, Aires Silva.
Beckers foi detido ainda na primeira etapa da operação. Ele estava detido na Delegacia de São Miguel do Iguaçu, cidade vizinha, onde funcionavam empresas suspeitas de participar da fraude em Foz.
Já Silva estava detido em Foz do Iguaçu, na carceragem da Polícia Federal. Ele estava preso desde o dia 3 de maio deste ano, quando foi deflagrada a segunda fase da operação.

Não há comentários aprovados neste post!

Curta e Compartilhe


Horário das orações:


Foz do Iguaçu

Busca

Arquivos

Tag