SBI

06 de junho, 2016

Polo Astronômico foi palco do anúncio do Ramadã em Foz


Começou hoje, 6 de junho, oficialmente na Tríplice Fronteira o período do Ramadã, o mês considerado sagrado para os muçulmanos. O anúncio foi ontem  (5) no Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, após a observação do nascimento da lua nova.

13343056_1034185936630711_7739857893872487482_n
O xeque Mohamad Khalil ressaltou que “esse encontro no Polo Astronômico é importante para fortalecer os laços humanos e os laços entre a religião e a ciência”

13319874_1034186166630688_6056054980224798240_n
Muçulmanos fazem primeira oração da noite no Pólo Astronômico. Prece é conduzida pela xeque Fadi Ahmad Aljafarawi, do Centro Árabe Islâmico Paraguaio

Participaram da ação dezenas de representantes da comunidade árabe da região, como os xeiques Abdo Nasser El Khatib e Mohamad Manjud, do Centro Cultural Beneficente Islâmico de Foz do Iguaçu; Mohamad Khalil, da Sociedade Bnefecinte  Islâmica de Foz do Iguaçu; e Abbas Al Baghdadi, representante do Conselho Islâmico Superior Xiita no Brasil e no Paraguai.
Após conhecerem a estrutura do Polo e anunciarem o começo do mês sagrado, os visitantes fizeram no local uma de suas cinco orações  que cada muçulmano deve realizar diariamente. O xeque Abdo Nasser El Khalib lembrou que “o Ramadã é uma escola espiritual e educacional no qual os muçulmanos têm a oportunidade de uma grande purificação. Quando você tem aquele equilíbrio de controlar os seus desejos e vontades, está sentindo como os necessitados estão vivendo durante doze meses, e não apenas um mês”.
O xeque Mohamad Khalil ressaltou que “esse encontro no Polo Astronômico é importante para fortalecer os laços humanos e os laços entre a religião e a ciência”. Já o coordenador do Polo Astronômico, Janer Vilaça, lembrou que o local também tem um viés cultural e ressaltou que “os povos árabes tiveram uma contribuição enorme para o desenvolvimento da Astronomia e que continuam essas ações até hoje”.
Durante o Ramadã , os muçulmanos jejuam durante o dia, rezam e celebram a revelação do Alcorão, o livro sagrado, escrito pelo profeta Maomé. O jejum faz parte de um dos cinco pilares da religião islâmica. A comunidade árabe de Foz do Iguaçu é considerada a segunda maior do Brasil, atrás apenas de São Paulo, com cerca de 17 mil pessoas.
Participaram da ação dezenas de representantes da comunidade árabe da região, como os xeiques Mohamad Khalil, do Centro Beneficente Islâmico de Foz do Iguaçu; Abbas Al Baghdadi, representante do Conselho Islâmico Superior Xiita no Brasil e no Paraguai; e Fadi Ahmad Aljafarawi, do Centro Árabe Islâmico Paraguaio. (Reportagem e fotos: Vacy Alvaro do PTI)

Não há comentários aprovados neste post!

Curta e Compartilhe


Horário das orações:


Foz do Iguaçu

Busca

Arquivos

Tag